A evolução pragmática do progressismo no Equador

Como entender e praticar a democracia sem cair em sua redução como divisão das funções do Estado? Processo político equatoriano mostra o que se perdeu em termos de conteúdos substanciais: participação popular, construção política a partir de baixo, conscientização social e política, tudo foi substituído pela voz única do caudilho e do aparato institucional, no qual foram incluídos oportunistas de todo tipo. Mostra que um progressismo construído sobre os pilares do caudilhismo e do extrativismo é um progressismo com pés de barro. Artigo de Francisco Hidalgo Flor.

No Equador, plebiscito aprova fim da “reeleição indefinida” e complica futuro de Correa

A marcha da (hiper) modernidade conspira contra eventuais planos “bolivarianos” e demonstra que uma política progressista precisa de algo mais do que fervor e retórica de tipo nacionalista ou patriótico. A própria ideia de integração pede que se vá além da promessa de confrontar a globalização e de unificar por cima (mediante o controle do Estado) os interesses populares. Artigo de Marco Aurélio Nogueira.

O Direito e os “espaços de autonomia” em Cuba

Julio Antonio Fernández Estrada, docente universitário em Havana, analisa os desafios que se apresentam à ciência jurídica cubana em um contexto de reforma constitucional e de mudanças institucionais que estão a ocorrer no país há uma década. Para ele, o encaminhamento dos diferentes aspectos da questão democrática, da sociedade civil e dos direitos dos trabalhadores passa pela ampliação dos canais de participação e debate dos cidadãos sobre o futuro del sistema político cubano: “os próximos anos serão de luta política em Cuba e o socialismo tenderá a ser uma opção entre outras. Será então o caso de disputá-lo e de ver de qual socialismo se falará.”

O presidente e o Estado da União

O primeiro "State of the Union Address" de Trump privilegia economia, infraestrutura, comércio internacional e reitera o ultrapassado discurso anti-imigração, que é a outra faceta do protecionismo comercial. Artigo de Monica de Bolle.

A Sérvia e o futuro da questão do Kosovo

A Sérvia acena para uma revisão de abordagem para a questão do Kosovo a partir de 2018. É possível que se dê início, desse modo, a um processo que pode resultar em mudanças de impacto quanto à reivindicação da soberania sérvia sobre a antiga província, bem como ao reconhecimento internacional da individualidade política do Kosovo.
A América Latina e o mundo
A evolução pragmática do progressismo no Equador
A América Latina e o mundo
No Equador, plebiscito aprova fim da “reeleição indefinida” e complica futuro de Correa
A América Latina e o mundo
O Direito e os “espaços de autonomia” em Cuba
Política Externa Brasileira
O presidente e o Estado da União
Atores do Sistema Internacional
A Sérvia e o futuro da questão do Kosovo
Teoria Política e Relações Internacionais

Uma boa ideia alemã para 2018

O impasse da Europa deve-se a um enfrentamento entre desejos, objetivos e preocupações: os temores alemães de uma ruptura das regras greco-latinas sempre superarão os temores franceses de uma construção imperial alemã, e vice-versa. Mas os desejos preconceituosos levam a um beco sem saída e não conseguem revelar o curso correto de ação.

Leia mais
Teoria Política e Relações Internacionais

Balibar: da vitória do capitalismo à derrota da democracia?

As fronteiras não criam delimitações definitivas: atravessam, de maneira mais ou menos autoritária e mais ou menos discriminatória, o espaço no interior do qual se põe a questão do acesso ao autogoverno. Deve-se considerar a maior ou menor liberdade e igualdade que um poder de Estado concede aos imigrantes, bem como o papel que uma nação desempenha no avanço das liberdades e na redução das desigualdades globais. Entrevista de Étienne Balibar.

Leia mais