Um País, Dois Sistemas? A Nova Lei de Segurança Nacional da China e o Futuro de Hong Kong

Henoch Gabriel Mandelbaum & Giovanna Bertolaccini
Aproximadamente duas décadas e meia após o retorno de Hong Kong à soberania chinesa, a questão das liberdades dos honcongueses se tornou fundamental com a aprovação da nova Lei de Segurança Nacional (LSN) pelo Comitê Central do Congresso Nacional...

Protestos em Khabarovsk: a atualidade do passado russo

Danielle Amaral Makio
Após ser ameaçado de homicídios, Sergei Furgal, atual governador do krai de Khabarovsk, Rússia, foi levado por agentes das forças especiais do Kremlin até Moscou, onde foi condenado e permanece em prisão. O ocorrido foi o estopim para o...

O futuro das relações entre a Argentina e o Fundo Monetário Internacional (FMI)

Giovana Oliveira Santos
No mês de junho de 2018, o governo de Mauricio Macri (2015-2019) recorreu aos programas de empréstimos do Fundo Monetário Internacional (FMI). O acordo instituiu o programa Stand-by (SBA) por três anos, cujas condicionalidades e desembolsos são feitos de...

Destruição como agenda: o avanço do desmatamento na Amazônia e a imagem internacional do Brasil

Raí Luís Honorato
Desde 2019, ano em que Jair Bolsonaro tomou posse oficialmente, são constantes as notificações dos índices crescentes de desmatamento e de queimadas no país, resultado da ação predatória de grileiros que se utilizam destes dois elementos como estratégia para...

O pós-pandêmico é atual pandêmico: por imaginários desgovernados

Alcides Eduardo dos Reis Peron
Como pensar um futuro pós pandêmico quando a própria condição de pandemia é negada ou subestimada nas redes? Talvez o futuro seja um esgarçamento das tendências do presente. A perda perceptiva, o distanciamento e a desinformação por hiperinformação são...
China, Direitos humanos e migrações
Um País, Dois Sistemas? A Nova Lei de Segurança Nacional da China e o Futuro de Hong Kong
Teoria Política e Relações Internacionais
Protestos em Khabarovsk: a atualidade do passado russo
América Latina
O futuro das relações entre a Argentina e o Fundo Monetário Internacional (FMI)
Mudança Climática, Política Externa Brasileira
Destruição como agenda: o avanço do desmatamento na Amazônia e a imagem internacional do Brasil
Redes e tecnologias
O pós-pandêmico é atual pandêmico: por imaginários desgovernados
Saúde Global

O Brasil na contramão do mundo e da ciência: como Bolsonaro pode contribuir para o colapso do SUS

Maíra Fedatto

Bolsonaro, na contramão da ciência e dos pesquisadores, segue argumentando exclusivamente sobre a letalidade da doença, quando a estratégia é reduzir a transmissão para que os serviços de saúde possam lidar com a epidemia, sem exceder a capacidade de cuidados intensivos disponíveis. O discurso do presidente da República, portanto, ignora as limitações do SUS, já alertadas pelo seu Ministro da Saúde.

Leia mais
China, Direitos humanos e migrações

Um País, Dois Sistemas? A Nova Lei de Segurança Nacional da China e o Futuro de Hong Kong

Henoch Gabriel Mandelbaum & Giovanna Bertolaccini

Aproximadamente duas décadas e meia após o retorno de Hong Kong à soberania chinesa, a questão das liberdades dos honcongueses se tornou fundamental com a aprovação da nova Lei de Segurança Nacional (LSN) pelo Comitê Central do Congresso Nacional do Povo (CCCNP), em Pequim. Embora a lei não tenha caráter retroativo, ela prevê punições austeras para ações/crimes que não são claramente definidos e propositalmente vagos, constrangendo e limitando a liberdade dos cidadãos da RAE, veículos de comunicação e empresas. Pensada para conter os protestos da oposição e silenciar as críticas, na prática, a medida extingue a já restrita liberdade de Hong Kong e aproxima a então Região Autônoma do modus operandi da China Continental. A lei que paira sobre a RAE, outorgada e controversa, questiona a vigência da máxima onde “Um País” não parece ter mais “Dois Sistemas”.

Leia mais
Teoria Política e Relações Internacionais

Protestos em Khabarovsk: a atualidade do passado russo

Danielle Amaral Makio

Após ser ameaçado de homicídios, Sergei Furgal, atual governador do krai [1]de Khabarovsk, Rússia, foi levado por agentes das forças especiais do Kremlin até Moscou, onde foi condenado e permanece em prisão. O ocorrido foi o estopim para o início de protestos que tomaram Khabarovsk, cidade localizada no extremo oriente russo próxima à fronteira com a China. A despeito das restrições impostas pela pandemia da Covid-19, dezenas de milhares de habitantes tomaram as ruas no sábado, 17 de julho de 2020, em reação ao episódio. Convencidos de se tratar de uma manobra política desenhada no seio do centralismo político do presidente Vladimir Putin, os manifestantes marcharam embalados por brados que condenavam a arbitrariedade do evento e denunciavam o descaso de Moscou para com a região.

Leia mais
América Latina

O futuro das relações entre a Argentina e o Fundo Monetário Internacional (FMI)

Giovana Oliveira Santos

No mês de junho de 2018, o governo de Mauricio Macri (2015-2019) recorreu aos programas de empréstimos do Fundo Monetário Internacional (FMI). O acordo instituiu o programa Stand-by (SBA) por três anos, cujas condicionalidades e desembolsos são feitos de acordo com as revisões do staff do Fundo. Ao final do programa, os empréstimos totalizariam um valor de US$ 56,3 bilhões. Em agosto de 2019, a Argentina declarou moratória. Ao final desse ano, Alberto Fernández superou Mauricio Macri e foi eleito presidente do país. Logo no início de 2020, ocorreram as primeiras aproximações desse novo governo com o FMI, e até o momento, as negociações sobre a retomada do programa não foram de fato concluídas. Os primeiros sinais dados pelo novo governo demonstram seu objetivo em definir com a organização um novo programa com novas premissas, em que os termos permitam o inicio do pagamento da dívida apenas daqui três anos. Entretanto, Gerry Rice, diretor de comunicações do FMI, ressaltou que existem limitações para o adiamento de  prazos de pagamentos e reestruturação das dívidas. Deste modo, as expectativas argentinas podem não ser cumpridas.

Leia mais
Mudança Climática, Política Externa Brasileira

Destruição como agenda: o avanço do desmatamento na Amazônia e a imagem internacional do Brasil

Raí Luís Honorato

Desde 2019, ano em que Jair Bolsonaro tomou posse oficialmente, são constantes as notificações dos índices crescentes de desmatamento e de queimadas no país, resultado da ação predatória de grileiros que se utilizam destes dois elementos como estratégia para a ocupação de terras públicas ilegalmente. Nessas circunstâncias, a Amazônia brasileira já perdeu cerca de 12 mil km² de floresta nativa.

Leia mais
Redes e tecnologias

O pós-pandêmico é atual pandêmico: por imaginários desgovernados

Alcides Eduardo dos Reis Peron

Como pensar um futuro pós pandêmico quando a própria condição de pandemia é negada ou subestimada nas redes? Talvez o futuro seja um esgarçamento das tendências do presente. A perda perceptiva, o distanciamento e a desinformação por hiperinformação são marcas do contemporâneo em esgarçadamento. Grupos – ou enxames digitais – que oligopolizam mecanismos de “shitstorm” amplificam a crise e colonizam o futuro. Eles têm na velocidade uma estratégia determinante. A ação das tempestades de acusações, informações, escândalos, hashtags e desinformação ocorrem de forma sucessiva, rápida, impedindo reflexão e produção de respostas. A catatonia e a espetacularização passiva da política e do mundo é função direta da velocidade desse motor informacional. Tragados por um looping perpétuo de discussões inócuas, aceleradas pelas redes que negam a gravidade do presente pandêmico, o que resta é o esgarçamento da própria pandemia.

Leia mais
América Latina, Estados Unidos

Relações bilaterais entre Estados Unidos e Cuba em meio à pandemia da Covid-19

Stella Bonifácio da Silva Azeredo

Em meio à pandemia da Covid-19, aumentou a tensão entre o governo cubano, liderado por Miguel Díaz-Canel, e a gestão estadunidense, comandada por Donald Trump. Apesar do momento delicado, a cooperação e a solidariedade entre os países, bem como a busca de soluções conjuntas para a contenção da crise através do desenvolvimento de estudos científicos, vacinas e medicamentos eficazes para combater a doença, não foram estimuladas. Ainda que tenha se intensificado na atual conjuntura, as fricções com Cuba estão presentes desde quando Trump assumiu a presidência dos EUA, em janeiro de 2017.

Leia mais
Direitos humanos e migrações

Crise humanitária contemporânea como crise migratória: a situação dos campos de refugiados na pandemia de COVID-19

Thiago Lima Alves e Renata Peixoto de Oliveira

O coronavírus tem exigido um imenso esforço de união tanto no plano doméstico quanto no internacional, destacando a maior necessidade de colaboração e de solidariedade entre as nações para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. O combate à COVID-19 tem sido não apenas um teste para nosso sistema de saúde e de assistência social, mas um áspero desafio de fazer funcionar nossa capacidade de trabalhar em equipe, pautando-nos pela tutela dos Direitos Humanos dos mais vulneráveis e que se encontram em campos de refúgio.

Leia mais
América Latina

Bolívia 2020: entre o avanço da pandemia e as incertezas eleitorais

Clayton M. Cunha Filho

Após cerca de uma década de notável estabilidade política, fato excepcional em sua convulsiva história, a Bolívia se encontra desde as falidas eleições gerais de 20 de outubro de 2019 novamente diante de um cenário potencialmente explosivo e cheio de incertezas. As eleições estiveram marcadas por forte polêmica devido à candidatura do então presidente Evo Morales a uma nova reeleição, apesar da derrota no referendo ratificador da emenda constitucional que retirava os limites à reeleição em 21 de fevereiro de 2016. Apesar disso, nova candidatura de Morales fora validada pelo Tribunal Constitucional Plurinacional (TCP) em 28 de novembro de 2017, com base em uma demanda interposta por legisladores do partido Movimento Ao Socialismo (MAS), invocando o artigo 23 do Pacto de San José.

Leia mais
Redes e tecnologias

Em tempos de infodemia, capitalismo de vigilância e radicalização bolsonarista, a quem serve o PL das fake news?

Júlia Tibiriçá

No Brasil, a proliferação de notícias falsas encontrou um importante aliado no cenário de crise política e de radicalização bolsonarista. Em contraposição às chamadas fake news, uma iniciativa parlamentar, o PL 1429/2020, propôs instituir uma Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. O indispensável panorama para a discussão da regulação das plataformas e da disseminação de notícias falsas, entretanto, diz respeito a uma complexa economia política das redes sociais – cuja ausência no PL 1429/2020 contribui para que seja, então, colocada em evidência.

Leia mais