Crédito da imagem: Felipe Werneck/Ibama/Poder360

O presidente Jair Bolsonaro discursou na manhã desta terça-feira (21) de setembro de 2021 na 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Para defender a política ambiental de seu governo, criticada dentro e fora do Brasil, o presidente Jair Bolsonaro distorceu informações. Em seu discurso, Bolsonaro escolheu um dado positivo sobre o desmatamento na Amazônia: a redução de 32% registrada pelo Inpe em agosto em relação ao mesmo mês do ano passado. Mas o que o presidente não disse é que os números de desmatamento em agosto estavam muito altos em relação à série histórica. A área desmatada no mês mais do que triplicou em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, revelando claro retrocesso na preservação ambiental dos biomas brasileiros da atual administração.

A pesquisadora Sara Basílio de Toledo, coordenadora executiva e pesquisadora do NEAI, analisa a política ambiental do Governo Bolsonaro e comenta sobre os impactos negativos da atual gestão para a imagem brasileira no cenário internacional.

Apresentação: Marcel Artioli

Autor(a)

  • O Núcleo de Estudos e Análises internacionais (NEAI), vinculado ao Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais (IPPRI) da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) busca dialogar com o mundo em que vivemos, com o sistema internacional de Estados, seus atores e processos, seus temas e problemas, e as ideias que nele circulam.

Leia mais:  #12 Desigualdade na América Latina. A ferida segue aberta, e cresce. Por Carlos Eduardo Carvalho