Category

Sistema Internacional

Ásia, China, Estados Unidos, Sistema Internacional

Diferentes tabuleiros de Biden na Ásia: Institucionalização de aliança militar ampla no Indo-Pacífico seria jogada arriscada

João Paulo Nicolini Gabriel e Carlos Eduardo Carvalho

A política externa de Biden para o Indo-Pacífico ficou mais evidente na primeira cúpula presencial dos chefes de governo do Quad, em 24/9, quando recebeu seus pares de Austrália, Índia e Japão: atuar com iniciativas de formato e escopo variados para cercar a China.

Continue reading
Sistema Internacional

Na cúpula dos Brics, sucesso da Índia: Ascensão do Talibã no Afeganistão pôs terrorismo na agenda do grupo

William Daldegan e Carlos Eduardo Carvalho

Sob o tema “Cooperação intra-Brics para a continuidade, a consolidação e o consenso”, a 13ª Cúpula Anual do arranjo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, realizada em 9 de setembro, destacou saúde, terrorismo e governança financeira internacional. Entre os movimentos diplomáticos mais originais, além do reposicionamento do presidente brasileiro destacando a relevância da China na vacinação contra a covid-19, houve um movimento de reaproximação entre Índia e China, diante das implicações da volta do Talibã ao poder em Cabul.

Continue reading
Ásia, Sistema Internacional

Talibã embaralha jogo no Indo-Pacífico: Pequim e Washington sabem que estratégias para Cabul passam por Nova Délhi ou Islamabad

João Paulo Nicolini Gabriel e Carlos Eduardo Carvalho

Índia e Paquistão avançam como potências regionais no vazio criado pela retirada militar dos Estados Unidos, mas devem arcar com o desafio de assegurar estabilidade no Afeganistão e no seu entorno, além de lidar com os movimentos de Pequim, Moscou e Washington em suas estratégias globais e nas disputas pela Ásia Central.

Continue reading
Sistema Internacional

Biden desenha aliança contra China: Reuniões de G-7 e Otan indicam que a disputa é global

João Paulo Nicolini Gabriel e Carlos Eduardo Carvalho

No documento oficial da Cúpula de 14 de junho, pela primeira vez a Otan apontou nominalmente a China como desafio para seus membros. Dois dias antes, a declaração do G-7 questionou o tratamento dado por Pequim às minorias muçulmanas no país, as políticas contra opositores em Hong Kong e as tensões territoriais no Mar do Sul da China, temas muito sensíveis para a liderança chinesa. Pequim classificou as referências como provocativas e instigadoras de uma reprovável lógica de Guerra Fria. Os dois comunicados apresentam conteúdo semelhante aos pontos debatidos em março na Cúpula do Quad, o arranjo estratégico composto por EUA, Índia, Japão e Austrália. Nos três eventos a presença assertiva do novo presidente americano foi decisiva para a ênfase contra Pequim.

Continue reading
Sistema Internacional

EUA, China e a nova era espacial

Giovanna Bertolaccini

A extinção da ordem bipolar e a entrada de novos atores não representam o fim das disputas e dos conflitos no espaço – pelo contrário. EUA e China, que nos últimos anos, em terra firme, têm disputado influências, mercados e espaços de projeção de poder, estão estendendo esta disputa ao espaço exterior. Embora não seja um fenômeno novo, a competição contemporânea apresenta uma complexidade muito maior vis-à-vis era espacial da Guerra Fria

Continue reading
Sistema Internacional

A tímida retomada da agenda climática no Conselho de Segurança das Nações Unidas

André Andriw

A série de reuniões do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) em fevereiro tem como prioridade analisar as consequências do aquecimento global no âmbito socioeconômico, ambiental e político dos Estados. Em outras palavras, o conselho deve analisar a adoção de uma postura mais robusta, isto é, reconhecer as alterações climáticas como potencial ameaça à estabilidade interna dos Estados

Continue reading
Sistema Internacional

A Aliança Transatlântica e o retorno do multilateralismo dos Estados Unidos

Solange Reis

O mais difícil para Biden será convencer os europeus a jogarem duramente contra a Rússia e, principalmente, a China. Duas semanas depois da eleição americana, Macron disse que a Rússia é parte da Europa e não deve ser rejeitada. A União Europeia acaba de fazer um grande acordo de investimentos com a China, sem sequer dar uma notificação prévia à Casa Branca. O acordo fortalece a credibilidade da China como parceiro comercial e financeiro, bem como sinaliza para os Estados Unidos que a União Europeia pretende renunciar à função de parceiro menor da coalizão liberal ocidental.

Continue reading
Sistema Internacional

Administração Biden e a crise orgânica da ordem liberal

Leonardo Ramos e Filipe Mendonça

Em sua essência, entendemos que a crise da ordem liberal internacional é reflexo das limitações enfrentadas pelos EUA na reprodução de sua hegemonia globalmente – em particular por meio de instituições internacionais. Como arquiteto-chefe da ordem liberal, os Estados Unidos não foram capazes de eliminar seus principais pontos de tensão. Em vez disso, o trumpismo, em certo sentido, afastou os Estados Unidos deste tipo de ordenamento liberal. Trump foi além e cruzou algumas linhas, ao criticar as instituições multilaterais, abandonar alianças históricas, questionar acordos comerciais e não apoiar totalmente a democracia liberal, interna e externamente

Continue reading
Sistema Internacional

Quad e suas hesitações diante da China

João Paulo Nicolini Gabriel e Carlos Eduardo Carvalho

Hesitações diante da crescente assertividade da China marcaram os resultados da reunião do Diálogo de Segurança Quadrilateral, o Quad, entre os ministros de relações exteriores da Austrália, Índia, Japão e Estados Unidos, em 6 de outubro em Tóquio.

Continue reading
Sistema Internacional

Espionagem em uma nova guerra fria?

Desiree Almeida Pires

Desde que Donald Trump assumiu a presidência dos Estados Unidos, embasado no discurso de America First, as desavenças entre EUA e China têm-se acirrado. Ainda ao início de 2018, um ano após ter assumido a presidência, Trump anunciou que colocaria tarifas sobre as importações de aço e alumínio, justificando a decisão como necessária para lidar com o que ele considerou como concorrência desleal da China no comércio internacional e que, como consequência, estava prejudicando as indústrias e os trabalhadores estadunidenses.

Continue reading
EN