Crédito da foto: Deutsche Welle

O colapso de três bancos na última semana abalou os mercados e despertou um alerta vermelho entre autoridades monetárias ao redor do mundo. Nos EUA, a quebra do Signature Bank e do SVB (Silicon Valley Bank), bancos médios norte-americanos, se compara às falências da crise financeira mundial de 2008.  Na Europa, o Credit Suisse, um dos maiores bancos do Velho Continente, precisou ser socorrido pelo banco central suiço, que forneceu mais de US $50 bilhões à instituição. No Brasil, até o momento, os bancos nacionais foram pouco afetados pela crise nos países desenvolvidos e passaram praticamente ilesos. O coordenador acadêmico do NEAI, Carlos Eduardo Carvalho apresenta o quadro internacional e analisa os possíveis impactos da crise financeira ao Brasil. 


Carlos Eduardo Carvalho é  professor da PUC-SP e  do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP – Unicamp – PUC-SP) e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do ABC (UFABC).

Read more:  Zigmunt Bauman: “Os demônios que nos perseguem não irão evaporar”.