América Latina

30 anos de cooperação nuclear entre Brasil e Argentina

João Marcos Ferreira Pacheco

Brasil e Argentina são, hoje, os dois únicos países da América do Sul a dominarem tecnologia nuclear a ponto de construir e manter usinas, reatores para pesquisa e geração de energia, além de enriquecer urânio, mineral utilizado como combustíveis desses reatores. Paralelamente, pode-se dividir o desenvolvimento dos programas nucleares de cada país em três principais fases. A primeira, entre os anos 1950 e 1970, foi marcada por aparente corrida armamentista entre os dois países em termos de política internacional. A segunda fase se caracterizou pela transição da rivalidade para cooperação nos anos 1980 e 1990; e, a mais atual, se estrutura sob as égides integracionista e cooperativa, cuja institucionalização se deu através do Sistema Comum de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (SCCC) e da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC).

Leia mais