Saúde Global

Trump rompe com a OMS: quais as consequências para a saúde global?

Maíra Fedatto

O presidente Donald Trump anunciou no dia 30 de maio a retirada dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS) sob o argumento de que a organização estaria sendo controlada pelo Governo da China. Apesar do significativo simbolismo, ainda não se sabe se Trump tem autoridade para tomar tal decisão unilateralmente, tendo em vista que a Constituição da OMS é um tratado, ao qual os Estados Unidos aderiram e ratificaram. O Congresso norte-americano é, portanto, uma variável a ser considerada nessa decisão.

Leia mais
Saúde Global

O Brasil na contramão do mundo e da ciência: como Bolsonaro pode contribuir para o colapso do SUS

Maíra Fedatto

Bolsonaro, na contramão da ciência e dos pesquisadores, segue argumentando exclusivamente sobre a letalidade da doença, quando a estratégia é reduzir a transmissão para que os serviços de saúde possam lidar com a epidemia, sem exceder a capacidade de cuidados intensivos disponíveis. O discurso do presidente da República, portanto, ignora as limitações do SUS, já alertadas pelo seu Ministro da Saúde.

Leia mais
Saúde Global

Coronavírus: a importância de uma resposta mundial coordenada

Maíra Fedatto

Quando a OMS se abstém de agir, cria-se um vácuo de autoridade na arena internacional de saúde, que é, precisamente, o papel que a Organização deve desempenhar. Este vácuo pode levar outros atores, como governos e setores privados, a tomarem suas próprias decisões, de forma unilateral. Este é o pior cenário, tendo em vista que temas relacionados à saúde transcenderam o sentido e a autonomia nacional sobre a responsabilidade sanitária.

Leia mais